quinta-feira, 30 de novembro de 2006

ESTE ANO, NÃO HÁ MAGUSTO NA ACRN

Este ano, não haverá o habitual magusto na Associação Cultural e Recreativa de Negrelos (ACRN), organizado por esta colectividade e o Rancho Folclórico "As Lavradeiras de Negrelos".
É pena, pois era uma importante jornada de convívio para os negrelenses e outros convidados.

segunda-feira, 27 de novembro de 2006

PASSOU O I CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE ANTÓNIO GEDEÃO

Recentemente, completaram-se 100 anos sobre o nascimento do professor Rómulo de Carvalho, mais conhecido por António Gedeão, pseudónimo que utilizava como poeta.
Foi, como Mário Cesariny de Vasconcelos, um dos maiores poetas portugueses do séc XX.
"Pedra Filosofal", "Fala do Homem Nascido" ou "Calçada de Carriche" são alguns dos seus poemas mais conhecidos, onde denuncia o obscurantismo, a falta de liberdade e as injustiças humanas e sociais.
Aqui deixamos o primeiro dos pemas mencionado no parágrafo anterior, cantado por Manuel Freire.


Eles não sabem que o sonho
é uma constante da vida
tão concreta e definida
como outra coisa qualquer,
como esta pedra cinzenta
em que me sento e descanso,
como este ribeiro manso,
em serenos sobressaltos

como estes pinheiros altos
que em verde e ouro se agitam
como estas aves que gritam
em bebedeiras de azul.

Eles não sabem que o sonho
é vinho, é espuma, é fermento,
bichinho alacre e sedento.
de focinho pontiagudo,
que fossa através de tudo
num perpétuo movimento.

Eles não sabem que o sonho
é tela, é cor, é pincel,
base, fuste, capitel.
arco em ogiva, vitral,
pináculo de catedral,
contraponto, sinfonia,
máscara grega, magia,
que é retorta de alquimista,
mapa do mundo distante,
rosa dos ventos, Infante,
caravela quinhentista,
que é Cabo da Boa Esperança,
ouro, canela, marfim,
florete de espadachim,
bastidor, passo de dança.,
Colombina e Arlequim,
passarola voadora,
para-raios, locomotiva,
barco de proa festiva,
alto-forno, geradora,
cisão do átomo, radar,
ultra som televisão
desembarque em foguetão
na superfície lunar.

Eles não sabem, nem sonham,
que o sonho comanda a vida.
Que sempre que um homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre a mãos de uma criança.

domingo, 26 de novembro de 2006

FALECEU MÁRIO CESARINY DE VASCONCELOS




"A liberdade é uma planta frágil que deve ser cuidada". Esta frase teve como autor, em 1962, o grande economista americano Milton Friedman, recentemente falecido.
Faleceu também um dos maiores poetas e pintores portugueses dos nossos tempos, o surrealista Mário Cesariny de Vasconcelos, que sempre, antes e depois do 25 de Abril, cuidou da defesa de tal planta, tendo, em consequência, sido detido algumas vezes pela polícia política salazarista, a PIDE.
Em homenagem àquele Homem, cuja morte deixa a cultura, em geral, a poesia e a pintura, em particular, mais pobres, publicamos o poema que segue.

Em todas as ruas te encontro
em todas as ruas te perco
conheço tão bem o teu corpo
sonhei tanto a tua figura
que é de olhos fechados que eu ando
a limitar a tua altura
e bebo a água e sorvo o ar
que te atravessou a cintura
tanto tão perto tão real
que o meu corpo se transfigura
e toca o seu próprio elemento
num corpo que já não é seu
num rio que desapareceu
onde um braço teu me procura

Em todas as ruas te encontro
em todas as ruas te perco

quarta-feira, 22 de novembro de 2006

NOVA EMPRESA ACCIONISTA DA AVILAFÕES PROMETE ACABAR COM A POLUIÇÃO

Segundo notícia inserida em edição recente do "Jornal de Notícias", a empresa LUSIAVES, da Marinha Grande, adquiriu 51% do capital da AVILAFÕES.
Aquela notícia revela que responsáveis da LUSIAVES se comprometeram com moradores de aldeias vizinhas da empresa cujo capital passaram a controlar maioritariamente a acabar de vez com a poluição, fazendo investimentos no valor de 8 milhões de euros com esse objectivo.
Este plano de investimento foi já entregue na Direcção Regional de Agricultura da Beira Litoral.
Esperamos que a promessa seja para valer.

sexta-feira, 10 de novembro de 2006

OBRAS MUNICIPAIS

A Câmara Municipal de S. Pedro do Sul está a proceder a obras de melhoramento no caminho da Póvoa, desde a estrada principal até ao Rio Vouga, junto às Várzeas.
Chamamos, no entanto, a atenção da mesma autarquia para a necessidade de alcatroar o espaço compreendido entre a antiga loja de cima e o local onde o estradão saído da mesma entronca com a estrada principal, em Saínhas.
Tal como o nosso colega Rogério Nunes afirmou em post recente, é também necessária a colocação de uma rede protectora no muro que suporta a estrada Negrelos-Fataunços, em frente ao Café Central.

sábado, 4 de novembro de 2006

sexta-feira, 3 de novembro de 2006

Negrelos ao raio X


As ruas já têm nome.
Algumas tendem em não mudar de cara. Exposições de viaturas e carros alegóricos em decomposição, são uma festa!!!
Para além de contribuírem para a poluição visual, não contribuem para os Negrelenses, porque não existem parquímetros.
Pergunto:
Até quando esta situação?
Até à próxima…